Ministérios

Ministério Extraordinário da Sagrada Comunhão Eucarística

Ministrando a EucaristiaO ministro extraordinário é, na Igreja Católica, um leigo a quem é dada permissão, de forma temporária ou permanente, de distribuir a comunhão aos fiéis, na missa ou noutras circunstâncias, quando não há um ministro ordenado (bispo, presbítero ou diácono) que o possa fazer.

Chamam-se extraordinários porque só devem exercer o seu ministério em caso de necessidade e porque os ministros ordinários (isto é, os habituais) da comunhão são aqueles que receberam o sacramento da Ordem. Na verdade, é a estes que compete, por direito, distribuir a comunhão. Por esse motivo, o nome desta função é ministro extraordinário da comunhão, e não “ministro da Eucaristia”, como comumente é chamado, visto que apenas os sacerdotes são, de fato, ministros da Eucaristia.

São estas as funções dos ministros extraordinários da comunhão: Distribuição da comunhão na missa; distribuição da comunhão fora da missa, aos doentes ou outras pessoas que com razão o solicitem; administração do viático; e exposição do Santíssimo Sacramento para adoração dos fiéis (mas não a bênção com o mesmo).

Ministério Extraordinário das Exéquias

Anjo levando para o céuO mistério da morte, para os cristãos, ilumina-se à luz da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. Por isso, o Concílio Vaticano II, ao recomendar a revisão do Ritual das Exéquias, pediu que nelas se exprimisse «mais claramente o sentido pascal da morte cristã», respeitando as condições e as tradições de cada região.

Pelas exéquias, a Igreja confia o defunto à misericórdia de Deus e, através da aspersão, da incensação, das flores, dos cânticos e das orações, exprime a veneração que dispensa ao corpo que foi regenerado pelas águas batismais, se tornou templo do Espírito Santo e foi alimentado com o Pão da Vida. Consola os vivos enlutados, garantindo-lhes, pela fé, a união futura com o defunto na comunhão dos santos. Desta forma a celebração da morte alimenta em todos os fiéis a esperança da eternidade e afirma o caráter escatológico da vida cristã (SC, 8; LG, 48-51), pois os que foram «configurados com Cristo na morte, com Cristo tomarão parte na Ressurreição».

São funções dos Ministros das Exéquias: presidir a celebração da Palavra por ocasião das exéquias; proceder a encomendação do corpo conforme o ritual; dar assistência pastoral à família, preparando-a para a missa de sétimo dia; e exercer o ministério da consolação.

Ministério Jovem Incedeia

Ministério Jovem IncendeiaO Incendeia é um instrumento maravilhoso do “Ministério Jovem da Renovação Carismática Católica  - RCC” para evangelização de jovens.

Nasceu na Comunidade Bom Pastor da Praia da Costa e tornou-se um projeto Arquidiocesano. A partir do mês de março de 2010, os encontros que acontecem na Comunidade Bom Pastor serão alternados com encontros em outras comunidades, de forma que os trabalhos sejam ampliados em nível paroquial.
Após recebermos a aprovação e a bênção do nosso Pároco para essa expansão, vamos trabalhar com ainda mais empenho para que em todos os sábados aconteçam os encontros com localização alternadas. Contamos com a ajuda de Deus e com a sua ajuda! Vamos unir forças para crescermos ainda mais.

Para conhecer melhor o Incendeia conheça o que é Ministério Jovem:

Qual o objetivo do Ministério Jovem?
Evangelizar, formar, assistir, orientar e motivar os jovens a partir da identidade da RCC, inserindo-os na vida da Igreja. Trabalhar o que é próprio deste estado de vida. Proporcionar a oportunidade de ter o encontro pessoal com Jesus Cristo, permitindo assim que a juventude responda ao chamado de Deus e sejam construtores da civilização do amor. A formação humana, espiritual e vocacional, são as bases para que o jovem se torne protagonista na Igreja e na sociedade.

Quem pode trabalhar com a juventude?
A RCC como um todo responsabiliza-se pela evangelização da juventude, principalmente dos jovens inseridos dentro do movimento. Porém, existem pessoas que tem o ministério para com a juventude. Estas pessoas exercem um carisma todo especial para trabalhar com os jovens. Sua linguagem, seu testemunho, sua forma de pastoreá-los e sua pregação conseguem alcançar o coração da juventude.
Há muitos adultos, e até mesmo senhores e senhoras, que tem um carisma para trabalhar com a juventude. Jovens casados, que tem o ministério para com a juventude, são sem sombra de dúvidas, um referencial e um testemunho muito forte para a juventude de hoje.
Você pode não ser mais jovem em idade biológica, mas tem um espírito jovem e um chamado pra evangelizar a juventude. Você é um ministro da evangelização da juventude.
Conhecemos muitas pessoas que são ministros da evangelização da juventude, dois nomes quero citar: Pe. Jonas Abib e o saudoso Papa João Paulo II. É inegável que estes homens têm um carisma todo especial para com a juventude. Pe. Jonas, fundador da Comunidade Canção Nova, fundou essa importantíssima comunidade juntamente com os jovens, e até hoje são milhares os jovens que se identificam com o jeito de ser desta Comunidade e de seu fundador. O Papa João Paulo II, foi um dos homens mais extraordinários da história da Igreja, mas a sua identificação com a juventude é algo indescritível. As jornadas mundiais da juventude são um grande reflexo disso. Escreveu, exortou, orientou e falou ao coração dos jovens de um modo todo especial.
Contudo, os jovens são os principais evangelizadores de outros jovens. O Papa Bento XVI, na sua visita ao Brasil em abril de 2007, exortou:

“Por isso eu vos envio para a grande missão de evangelizar os jovens  e as jovens, que andam por este mundo errantes, como ovelhas sem pastor. Sede os apóstolos dos jovens. Convidai-os para que venham convosco, façam a mesma experiência de fé, de esperança  e de amor; encontrem-se com Jesus, para se sentirem realmente amados, acolhidos, com plena possibilidade de realizar-se e também eles e elas descubram os caminhos seguros dos Mandamentos e por eles cheguem até Deus.”(Discurso do Papa Bento XVI. Estádio Municipal do Pacaembu, São Paulo – 10/05/2007)
O jovem é um evangelizador por excelência de outro jovem! A pregação e o testemunho de vida são um fermento de grande poder na Igreja e na sociedade. Um jovem, que fez a sua experiência pessoal com Jesus Cristo, tem consciência do seu batismo, e permite que o Espírito Santo faça nele maravilhas (cf. Lc 1,49), se torna protagonista da nova evangelização e construtor da Civilização do Amor.

Como estão organizados os jovens da RCC?

A RCC trabalha com grupo de oração, e os jovens estão inseridos dentro dele. Há duas realidades neste sentido:

Grupo de oração misto: frequentado por pessoas de todas as idades, e
Grupo de oração jovem: na sua maioria ou totalidade é formado e frequentado por jovens.

Contudo, é importante ressaltar que todo grupo de oração é aberto para todo e qualquer participante sem restrições de idade.

Os jovens no grupo de oração misto.
A presença e a participação do jovem dentro do grupo de oração traz alegria, vitalidade e dinamismo. Geralmente o grupo de oração misto trabalha as várias facetas da realidade humana, porém é necessário que o jovem seja formado no seu estado de vida, aí a importância do ministério jovem dentro do grupo de oração. O ministério jovem é quem organizará em um momento específico a formação, a partilha e as atividades dos jovens dentro do grupo de oração. Neste sentido, sugerimos o Projeto Aqui tem Jovem, que orienta a implantação do Ministério Jovem dentro do grupo de oração.

O grupo de oração jovem
É um grupo de oração com todas as dimensões de um grupo de oração misto: coordenação própria, ministérios formados, equipe de serviço, reunião de equipe de serviço, ligado à coordenação diocesana, com seus direitos e deveres de acordo com o estatuto da diocese a que ele pertence. A principal característica do grupo de oração jovem está na linguagem. A condução do grupo de oração, a pregação, as músicas e as orações são dirigidas para a realidade jovem. Estes grupos tem feito um trabalho fundamental na evangelização da juventude, pois se tornaram um grande referencial para os jovens que estão fora da Igreja.