A Páscoa que desejamos?

Estamos nos aproximando da Páscoa e não podemos escutar tantas vozes repetindo que nada há para se festejar. A Fé nos impele a vencer o choro da Sexta-Feira, a Fé nos leva ao amanhecer do oitavo dia, o primeiro da nova história, resgatada da Cruz e do sangue de Cristo. Lamento ver, dia após dia, que, mesmo entre os cristãos, a esperança está morrendo. Estamos todos lutando para encontrar pontos de referência que interpretem os acontecimentos diários e nos deem um impulso para não sermos esmagados pela angústia, pela tristeza, pela depressão.

A tentação mais forte é a retirar-se em si mesmo. Mas a palavra de Deus vem ao nosso encontro com um grito alto de encorajamento, oferecido para nós pelo profeta Sofonias: "naquele dia dirão em Jerusalém: não se preocupe, Israel, não solte os braços! O Senhor teu Deus está no meio de vós, um poderoso Salvador. Alegrai-vos, nós renovaremos o amor, com gritos de alegria, se alegrará por ti’ "» (3.16-17). Essa mensagem consoladora nos dá um impulso para vencermos o desânimo e o medo. Também é um convite para purificar o nosso coração e a nossa alma, tirando de dentro de nós os fantasmas, que muitas vezes criamos, e que nos impedem de ver a Glória de Deus.

O medo nos deixa fracos, desanimados, paralisa os nossos sentimentos, os nossos sonhos, os nossos pés e braços... Pela Palavra, no entanto, encontramos toda a verdade que precisamos guardar para o tempo Pascal. Embora existam razões para puxar os remos do barco, há uma certeza que deve nos acompanhar em cada novo dia: o Senhor está conosco e é um poderoso Salvador.

Os problemas e as dificuldades são grandes e superam nossa capacidade de suportá-los, isso se não percebemos que sua solução não está ao nosso alcance; nós nunca poderemos vencer sozinhos. Devemos confiar em Deus e seguir as instruções que Ele nos dá: quem quer se salvar não pode fazê-lo sozinho; quem abre o coração aos outros não somente se salvará, mas também aqueles que estiverem ao lado.

E, em meio a essa crise terrível, chega-nos a mensagem de Páscoa da Ressurreição que vem apelar para os fiéis da Igreja e a todos aqueles que vivem conosco que a FÉ deve ser compartilhada. Essa FÉ é a luz do amor fraterno e da solidariedade que vence as trevas do egoísmo.

Deixemos morrer no sepulcro de Cristo todo individualismo, e todos os maus sentimentos que nos impedem de proclamar com voz forte que: Jesus Vive, Reina e Impera.

Que a Virgem Maria, Senhora da Penha, ajude-nos a suportar com Fé as provações e nos conduza à alegria da Vida verdadeira que é Cristo Jesus Ressuscitado. Feliz Páscoa! Deus nos abençoe. Paz e Bem.

Padre Diego Carvalho
Pároco