Agosto: Tempo de Pensar na Família!


Celebramos o mês de reflexão sobre as vocações, neste contexto a Igreja é convidada a vivenciar a Semana Nacional da Família, com uma grande preocupação: a de estarmos sempre e cada vez mais comprometidos com a vida, com a família.

 

A vida nasce na Família, desenvolve-se a amadurece na Família e deve ser acompanhada até ao seu fim natural no seio da Família. Por isso, a Família é, em si mesma, um compromisso de amor. Este compromisso envolve o respeito pela vida e a sua proteção e garantias de segurança, dentro da fragilidade que lhe é própria. Quanto à educação, temos de lembrar sempre que a Família é, de fato, a primeira escola de vida e de relação. É uma escola insubstituível, com a missão de preparar os seus membros para uma cidadania ativa e responsável voltada para a construção de um novo modelo de sociedade que seja acolhedora para todos e para todas asdimensões da realização pessoal de cada um.

Por isso, convido-os a refletir:

  1. Os filhos são sempre um dom gratuito, como a vida, e nunca uma propriedade ou sequer um direito. Perante os filhos é dever dos pais serem sacramento da presença amorosa e cuidadora de Deus.
  2. Os filhos não podem ser à imagem dos pais. Estes têm de saber acolher os seus filhos sempre como dom de Deus e para serem amados, respeitados e educados; para serem ajudados a crescer na direção do futuro que lhes é próprio e não segundo os desejos dos pais.
  3. É por isso que educar será sempre difícil; mas nós sabemos que tudo é possível para quem permanece unido a Cristo, como os ramos à videira.

Peçamos a Nossa Senhora, neste mês de agosto, que nos ajude nesta difícil, mas decisiva missão de educar para o valor fundamental da vida. E neste tempo em que somos convidados pelo Papa Francisco a meditar na palavra e no silêncio como caminho de evangelização, peçamos-lhe que nos dê a capacidade de fazer silêncio para percebermos o mistério que está em cada criança que cresce a fim de a podermos ajudar a cumprir a sua própria vocação. Peçamos a Deus o dom de ouvir os mais velhos, e aprender com eles que a vida deve ser respeitada do começo ao fim, lembrando que para nós cristãos não existe fim, existe eternidade!

Padre Diego Carvalho dos Santos
Pároco